Dr. Osvandré Lech Ortopedista Especializado
Em Membro Superior
Entre em Contato
Dr. Osvandré Lech
Entre em contato
Consultas em Passo Fundo
Consultas em Passo Fundo
Consultas em Porto Alegre
Consultas em Porto Alegre


MENU
SLIDE, SLIDE, SLIDE...

"Criatividade consiste em ver o que todo mundo vê e pensar o que ninguém pensou"
Szent-Giorgyi
- Prêmio Nobel de Química

Nos últimos 10 anos participei ativamente de atividades científicas, seja pesquisando, seja formando novos ortopedista, seja escrevendo, seja palestrando em congressos e jornadas. Fiz inúmeros amigos, conheci as diferentes realidades do país e levei experiência acumulada nos anos de pesquisa, estudo e em prática em Passo Fundo e Porto Alegre.

Mas afinal, qual foi a eficiência destes ensinamentos? Será que os meus colegas assistiram às palestras? Realizam hoje com eficiência a reparação de um manguito rotador ou tendão flexor, diagnosticam com clareza uma das múltiplas síndromes compressivas, indicam corretamente uma prótese ou sabem determinar e orientar a evolução da reabilitação?

A resposta certamente será um lacônico "não", ou um "mais ou menos". O país se transformou num imenso "congresso contínuo" de medicina onde o sucesso do evento é medido pelo número de participantes (geralmente mal acomodados) ou pela quantidade de "capas de livros" estrangeiros ou nacionais que palestram. Isto é um absurdo e uma deformação do ensino médico. Generalizando, dá pra dizer que "não tem mais ninguém para convidar".

Em recente congresso de dois dias havia quatro convidados estrangeiros de obscura projeção e de duvidosa qualidade científica. Isto ocorreu porque não havia ninguém mais para convidar naquela especialidade. Todos já haviam vindo ao Brasil!

Nesta sequência infindável de congressos apenas uma forma de ensino é praticada: slides, slides, slides... Na maioria das vezes sem qualquer discussão ou mesmo conclusão. a participação ativa da plateia (perguntas, troca de experiências ou críticas) nem pensar - não há tempo... O slide não sangra, não infecta, não mostra resultado final. Slide aceita tudo, especialmente agora com a introdução do discutível "Milionário Método multimídia" (MMM).

Em 1996 tivemos um congresso sem nenhuma atividade social - nenhuma empadinha servida, mas com lucro comprovado... e dois dias de slides das 8h às 18h! Os corredores destes congresso costumam estar cheios de stands que, pagando muito, tentam atrair a atenção dos congressistas das formas mais bizarras: sorteios, brindes, caricaturas, happy-hour, até pré-porno exposições... Dá para imaginar, sem qualquer esforço, como o médico é visto pelo departamento de marketing destas empresas.

Tenho a absoluta convicção de que os colegas que organizam congressos são verdadeiros heróis, já que despendem seus melhores horários e maiores esforços para a busca de patrocínio, organizando globalmente, "apagando incêndio entre estrelas", sempre para obter o melhor possível, já que o seu próprio nome e o da instituição estão em avaliação pelos sua pares.

O que estes colegas organizadores precisam entender é que existem múltiplas formas de educação médica continuada, além da mera "palestra". Num país onde a medicina está sendo torpedeada pelo chamado erro médico e onde a verdadeira educação médica continuada dá apenas os seu primeiros passos, vale a pena lembrar algumas "pérolas".

  • nos congressos japoneses apenas um estrangeiro é convidado;
  • a educação médica não ocorre através do "quadrado de um slide", workshops sérios, cursos de atualização prática, curtas visitas a centros de referência, mesaredonda moderna, sala de consultoria, sala de vídeo etc. são outras formas de ensino eficientes e pouco exploradas.
  • É inaceitável, sob o ponto de vista didático e de aprendizagem, que não exista discussão (e crítica) ao final de um show de slides - em muitos casos as verdades ditas nem são tão verdadeiras assim e os colegas com menor experiência acabam levando "coelho por lebre". Estamos bem familiarizados com a apresentação de casuística com resultados iguais ou superiores aos do "primeiro mundo" e mesmo dos autores que descreveram as técnicas originais. Tudo sempre no mesmo clichê de "acima de 90% dos bons e excelentes resultados".
  • Mesmo sem que muitos admitam, a nossa eterna rival Argentina não produz tantos congressos, mas produz muitos pesquisadores e palestrantes de bom nível.

Em conclusão - slide é preciso, muito slide não é preciso.

(Jornal AMRIGS, abr. 97; Jornal da SBOT, jun. 97)




Veja Também:









































Passo Fundo
Rua Uruguai, 2050
Fone: (54) 3045.2000
Porto Alegre
Rua Leopoldo Bier, 825/401
Fone: (51) 3219.2273
Ortopedista e Traumatologista
Especializado em Membro Superior
Ombro, cotovelo, mão e microcirurgia
© Copyright 2017 www.lech.med.br
Todos os Direitos Reservados
VIPWEB Soluções em Tecnologia