Dr. Osvandré Lech Ortopedista Especializado
Em Membro Superior
Entre em Contato
Dr. Osvandré Lech
Entre em contato
Consultas em Passo Fundo
Consultas em Passo Fundo
Consultas em Porto Alegre
Consultas em Porto Alegre


MENU
O ESTUDANTE DE MEDICINA E A VIDA UNIVERSITÁRIA

O GRANDE NÚMERO DE INDIVÍDUOS QUE CONCLUEM O CURSO BÁSICO DE II GRAU E SE DECIDE PELA CARREIRA UNIVERSITÁRIA, PERTENCE A FAIXA ETÁRIA compreendida entre 17-19 anos; época da vida em que as descobertas pessoais estão ainda acontecendo; ideias revolucionárias, contestatórias, reformistas aliadas a um sentimento intenso de liberdade própria e de posicionamento social e econômico povoam os pensamentos desta geração.

Enquadrado neste contexto, o indivíduo opta pelo curso de medicina; trava-se então uma busca incansável de conhecimentos; as madrugadas, os fins-de-semana, os horários de lazer até, todos os momentos destinam-se ao preparo para a competição de pouquíssimos vencedores. O epicentro desta busca toda é a provação no vestibular; um sonho almejado por tantos, afinal!

Vencida a fase eufórica, decide dedicar-se ao estudo acadêmico; pensa ele que conseguirá quebrar um "sistema". "Farei da medicina um ideal e não um meio" é frase corrente na boca dos "BIXOS" da Faculdade.

Inicia-se um ciclo básico, Anatomia, Fisiologia, Parasitologia, entre outras, formam um rol de disciplinas que exigem muito na teoria e prática, embora enfadonha, esta é a fase fundamental no preparo do "futuro doutor". Nesta época o binômio válido é "acadêmico-livro" para "fechar o semestre com aprovação".

No 3º ano da Faculdade, vislumbra-se nova perspectiva: o contato diário com as enfermeiras, a carta dos sinais e sintomas dos pacientes para enquadrá-los num único tipo de doença, o convívio com o paciente pobre, que mora na sujeira e alimenta-se de quase nada. O acadêmico começa a perceber os grandes desníveis dentro da medicina, de um lado, um avanço técnico e científico notável (medicina nuclear, tomografia computadorizada, pesquisas com radioisótopos etc.), de outro lado o sujeito doente, desnutrido, analfabeto, padecendo de males tão facilmente curáveis (tuberculose, esquitossomose, verminose etc.). O binômio válido aí é "acadêmico-paciente", aceito por alguns, e visitado por outros acadêmicos.

Nos anos seguintes de faculdade, há o aprofundamento deste conhecimento; as cadeiras clínicas (gastroenterologia, pediatria etc.) e cirúrgicas (cirurgia torácica, cirurgia vascular etc.) dão o apronto teórico final. Nesta época, o acadêmico decide-se por determinada especialidade e passa então a dedicar-lhe maior tempo: mero engano, pois não se concebe um "doente do olho" ou "doente do rim", mas existe, antes disso, um "doente por inteiro".

A última fase da vida universitária é o estágio (6º ano), em que as opções são várias, época de novos conflitos e dúvidas; a difícil perspectiva do mercado de trabalho a que estará jogando dentro em breve; os problemas de se conseguir uma Residência Médica, com vagas cada vez mais reduzidas, as grandes dúvidas no confronto direto com o paciente ("será que aprendi tudo o que devia? - será este o medicamento indicado"?). Todas estas incertezas, aliadas a uma opressão social sobre a figura do médico, pois "médico bom é aquele que ostenta status econômico", levam o acadêmico a examinar sua vocação e seus dons; é exatamente nesta situação que me encontro, juntamente com vários colegas.

Feliz e realizado é aquele que conclui o curso de medicina e pode dizer para si mesmo: "farei da medicina um ideal e não um meio..."

Finalmente tenho a dizer que se tivesse que reiniciar hoje a minha vida universitária, gostaria de reconduzi-la exatamente com fiz até então, pois me identifiquei perfeitamente com ela. (Texto escrito pelo professor Osvandré Lech em junho de 1979 e transcrito no jornal "UNIVERSITÁRIO" para seus alunos vestibulandos do GAMA VESTIBULARES e do CURSO UNIVERSITÁRIO)




Veja Também:









































Passo Fundo
Rua Uruguai, 2050
Fone: (54) 3045.2000
Porto Alegre
Rua Leopoldo Bier, 825/401
Fone: (51) 3219.2273
Ortopedista e Traumatologista
Especializado em Membro Superior
Ombro, cotovelo, mão e microcirurgia
© Copyright 2017 www.lech.med.br
Todos os Direitos Reservados
VIPWEB Soluções em Tecnologia